PROJETO


COMUN-IDADE

COMUN-IDADE é uma tentativa de criar uma solução criativa para três problemas atuais nos Açores.

Em primeiro lugar, a população idosa das ilhas do Arquipélago dos Açores tem vindo a aumentar, seguindo a tendência nacional, graças ao aumento da esperança de vida. Decorrente desta realidade, a diminuição da mobilidade, os riscos de isolamento e a perca de sentido de comunidade, conduzem à necessidade de criar ou proceder a intervenções arquitetónicas apropriadas em infraestruturas já existentes, para a satisfação de cuidados específicos da referida população.

Em segundo lugar, tem-se assistido nos Açores a mudanças culturais profundas que podem pôr em causa a memória das suas gentes. Sem os meios necessários para acolher e preservar os seus conhecimentos, as suas histórias pessoais relacionadas, por exemplo, com a culinária e o artesanato, estes saberes correm o risco de se perderem ao longo do tempo. Poder-se-ia, por isso, aproveitar, neste contexto, estas oportunidades únicas, nomeadamente, criando e pondo em prática novos conteúdos programáticos.

Por último, a reutilização de edifícios históricos é muito interessante, tanto por razões culturais como ambientais. Nos Açores, os edifícios populares e tradicionais têm um lugar claro no património construído. No entanto, existem edifícios industriais, muitas vezes abandonados, que, apesar de serem elementos frequentemente únicos e interessantes, são negligenciados.

O projeto COMUN-IDADE procura dar um futuro a um desses casos do ambiente construído nos Açores.O projeto COMUN-IDADE - um complexo para idosos que cria uma comunidade, propõe soluções arquitetónicas para estas três questões:

1 – Permite que se envelheça com os cuidados adequados a todos as etapas da velhice;

2 – Estimula, arquiva e comemora a história viva;

3 – Leva ao uso continuado de uma notável peça de arquitetura industrial.

A base para o projeto COMUN-IDADE é uma antiga fábrica de laticínios abandonada, a oeste da cidade de Angra do Heroísmo. Originalmente construída nos anos 70, a fábrica encontra-se em condições precárias, mas permanece estruturalmente sólida, com uma série de características que a valorizam, nomeadamente o facto de se situar junto à estrada nacional nº1, de primeira (EN1-1ª), a Norte e com uma magnífica paisagem sobre o mar e a cidade.

O projeto COMUN-IDADE em si, comporta três partes:

- A antiga fábrica de laticínios é convertida num centro comunitário para idosos e num “arquivo vivo”;

- O terreno da zona a Sul da fábrica de laticínios é ocupado por um bairro de casas pequenas adequado a pessoas com um certo grau de independência, consubstanciando o sentido de comunidade;

- Um novo bloco de apartamentos é construído na frente do edifício atual, ligado a ele, destinado a idosos residentes com necessidades particulares ou cuidados especializados.